quinta-feira, janeiro 01, 2009

Desencontros....











espaços vazios


enchem-me de dor



pela ausência



de quem não chega


rascunho linhas



despidas de cor



numa soma dividida



numa conta cega






Ela nem imagina

Ele nunca me vai ver








reparo no improvável

que tarda em chegar

como se a perda

fosse um retalho menor

onde o sujeito deixa


o tempo singular

preso a um canto



num remendo sem cor







Se ele sentisse

Só por uma vez

Que paro quando fala

Que rio quando olha

E coro quando é p'ra mim

E quero que me agarre
















E aqui me escondo

de quem fica a ver

devorado pela rua

que o beco persegue

As letras pintam

cartas sem querer


sobre o passado

que não se perde

Volto a cruzar-me com ela

Fingindo não o ver







E a vontade desistiu

à porta num toque


como se a coragem

não tivesse validade



o olhar não foi além

do desejo por sorte



e parado ele ficou

agarrado à saudade








este meu estar

que me consome


deixa me agarrado

e tão pronto


como se a chuva

fosse areia mole


numa doce vaga

que me leva o sonho





15 comentários:

Iruvienne disse...

... deixas-me mudar só um pouco o sentido para o qual as tuas palavras resvelam?
entendi o seu verdadeiro sentido e houve também uma certa ironia e graça que surgiram n meio das lembranças. de algo que ficou para trás.
mas houve algo mais imediato que saltou para o pensamento.. num sentido um pouco mais ao lado do que escreveste.

"espaços vazios enchem-me de dor pela ausência de quem não chega"

.. misto de saudades que se contradizem de chegar aqui e ver algo "familiar". mas talvez nao seja tao bom assim..

o ano começou, vams esperar que os espaços se encham com algo mais que dor. algo que traga pelo menos paz de espirito.

por alguma razão nao consegui ouvir a tua musica de fundo, va-se la saber porque x\

bjo grande e um bom ano para ti*

Iruvienne disse...

desculpa, "roubei-te" um excerto. mas indiquei-o para aqui :)

Iruvienne disse...

aqui pla barca ainda nao consegui ouvir a musica, mas julgo que seja mesmo problemas do meu lado. entretanto procurei-a na net ;)
enya é sempre calmante =)

Iruvienne disse...

bem estranhei inda estar um tema de natal, mas ei vontades nao se discutem ;)

esta nao conheço , mas vou procurar :)

bjo*

A. disse...

...que seja um novo ano, cheio
de bons encontros, meu querido Pescador.

















...um beijo.
*

biga disse...

....com tantas fotografias que há neste mundo virtual e fomos logo escolher uma igual.....bons ventos neste 2009.

mar disse...

Faz tempo q não te visitava :(

Tem um bom ano de 2009, com tudo aquilo q tu desejas

Bjs

mar

Brisa disse...

hum... ao fim do tanto tempo nem sei bem o que dzer...
Primeiro... Um formidável 2009.
Depois... bem... confesso que não comento pelo interesse ( inquestionável) do teu post. Queria mais dizer olá e partilhar ctg a sensação reconfortante de encontrar aqui vida neste espaço.
Vivi durante este tempo no mundo que os outros tendem a sobrevalorizar, procurei encontar nele sugestões de que podeia não ser tao egoísta, imprevisível e doloroso como me lembrava, mas... apenas confirmei o que já tinha concluído antes. Por isso volto para a minha gruta, para o meu lugar protegido... É mt bom encontrar alguém da "família" para nos receber... Beijo grande

Brisa disse...

Ah! Esqueci-me de dizer que sou (ou era) a Pandora...

Ruby Sackville-Baggins disse...

:)

Há tanto tempo...

Ni disse...

Destaco o teu blog com o Prémio de Excelência momentUS, que anualmente atribuo aos blogs que me tocam a essência... pela escrita de afectos em plena transparência... sem medos.

:)

Vai ao meu blog e traz o destaque que te pertence.

São pessoas como tu que fazem a diferença neste mundo... virtual ou real.

Abraço

Ni*

Drops disse...

Olá Pescador, meu doce Pescador...

Por que mares navegas hoje? Por quem choras? Por quem ris?

Quem és tu Pescador? Quando a distância e a ausência de palavras nos tornaram quase desconhecidos?...

:) continuo a sentir-te por aqui, a acompanhar-te, meio silenciosa, meio triste, meio feliz... Aguardo palavras tuas na minha caixa de correio mas elas parecem não chegar, e se calhar o descuido foi meu, que me deixei levar pelas ondas de outras marés.

Em breve receberás um e-mail meu, porque o meu mundo deu outra volta Pescador, e hoje tudo me parece diferente, tudo me parece distante, a dor que outrora me assombrava hoje parece fantasia e moldei-me a uma realidade diferente.

Saudades Pescador... e um prazer imenso em vir aqui e saber que ainda escreves com a mesma paixão, com o mesmo cuidado.

Um beijo com sabor a mousse de chocolate caseira regada com um pouco de brandy...

R.

Iruvienne disse...

so long my dear... vem fazer-nos uma visita. e deixa-nos ver-te sim? saudades*

Saksia disse...

Olá Pescador! Adoro ler as suas palavras .. mas você não escrever um monte de tempo ...
Um bom ano para ti e bons ventos .

Mônica Teixeira disse...

Maravilhoso esse post..hj me sinto exatamente assim!
desculpe a ousadia, mandei-te um mail comentando todo seu blog!