sexta-feira, janeiro 05, 2007

Hoje o amor ...

*
*
Hoje o amor foi a raiva
que sinto a explodir
É um olhar perdido
que não se encontra
É uma alma vazia
por não saber ferir
É uma jóia perdida,
escondida numa montra
*

*
E quem são era,
deixou-o de ser
E o que era simples,
já não tido como tal
É algo fugaz, efémero...,
até no querer
É uma mar salgado,
vazio..., sem sal

*


As noites frias
viram
lenha
a queimar
E quem ouvia
também ficou cego
Não consigo ver,
porque mandas no meu olhar

E não posso querer,
pois já não quero


*
É pois,
tão fácil
acender esta vela


Como é fácil
ao vento apagá-la
Sente-se a oração,
mas não se crê nela
E o coração assim,
desiste de guardá-la

*

*
São paixões violentas
por coisa nenhuma
São ondas vazias
que nada trazem para praia
São duas pessoas...,
mas na realidade é só uma

E a princesa morreu…,
apenas ficou a aia


*

*

O amor
é um fósforo que se acende
Sob um vulcão
que vomita ilusões
É um minuto num relógio
que horas prende


São histórias que se perdem
por mil versões



*

*

*

*








Vulgarizou-se a palavra
e banalizou-se o sentido...
e tudo se tornou tão efémero

11 comentários:

Aran disse...

"Vulgarizou-se a palavra e banalizou-se o sentido... e tudo se tornou tão efémero"... pois meu querido Pescador... essa é a triste realidade do amor de hoje... dos tempos que correm...
Hoje apenas desejam o efémero, o que lhes convém, o que lhes dá mais jeito... ou por vezes aquele onde se valorizam interesses para além do que o coração sente...
E só fazem explodir de raiva... de frustação... sugar o brilho do olhar daqueles que são puros de coração, onde não mora nem lógica nem a razão...
A música é uma delicia... Um beijinho grande

PS: "Jamais" uma palavra demasiado forte!?!? Começo acreditar que não...
O brilho da lua, a maresia e a rebeldia do mar, o som e o seu sorriso de platina... esses estarão sempre ao meu alcance e em mim hão-de sempre permanecer...
A leveza... essa é é que vai aos poucos, e talvez um dia não retorne mais... Um beijo

A. disse...

...meu doce pescador.







sabes que a aia era Inês?






....a de Pedro a sua Inês.

:)

volto com tempo e com mil
abraços para te dar meu querido N.

Aran disse...

Tomei a liberdade de acolher esta tua música no meu cantinho... espero que não te importes...
Obrigada e um beijinho grande...

Anónimo disse...

Esmagador...mas de um bom gosto, de uma sensibilidade ,estonteantes!
A música pescador,sorri,é simplesmente uma das que mais gostode sempre!
Gosto deste registo(não me atrevo em crítica musical,só sei gostar!) embora tenha um "fraquinho"pela versão L.Cohen,sorri,confesso.
um beijo
concha

Iruvienne disse...

o amor... confesso que pouco ou nada posso dizer sobre tal assunto...
mas algo em mim me aquece a alma kdo tal palavra surge. quase da mesma forma como lago em mim me aquecia a alma quando em pequenina me falavam de contos de fadas. ( agora que leio o que escrevi parece-me ridiculo.. mas pronto :S) talvez a esperança de verdadeira felicidade que ambas as ideias detêm.

bjnho para ti Pescador

biga disse...

O amor? Está lá, não o ouves? Não o sentes? Nos dias de tempestade,surge violento a abalar a tua barca, naõ te lembras? Nos dias calmos, abraça-te e conduz-me tranquilamente pelo azul das emoções e, naqueles dias cinzentos,onde nada aocntece, tu esperas, esperaste, tal como eu, como nós, como todos os que acreditam nele, que amanhã será uma mar azul.Não ouves? São as vozes do mar à espera. Hoje (e sempre) o amor...Beijinhos (não vulgares)

anacanela disse...

isto parece um campo de setas! coisas fortes que escreves!! que atiras! soltas! e todas bonitas, verdadeiras e profundas..as palavras aqui soltas..como rasgos de paixão* é bom de ler

Xuffy disse...

Mais uma vez doces palavras terno pescador...o amor... não há sentimento mais forte,mais doce e nem mais belo do que o amor ^-^
Amar alguém,sentir o coração quente e totalmente preenchido...
Desejo-te embora um pouco tarde, um bom ano ^-^...hoje nao disponho de mto tempo por isso...

jinhos gandes

Anónimo disse...

Infelizmente para mim hoje o amor é isso... raiva que sinto explodir depois de ter ficado com a alma vazia por não querer ferir...
Hoje descubro que quem era são, deixou de o ser e que as facilidades se perdem no segundo seguinte às ilusões.
Hoje. sem dúvida, que o anor para mim não passa de uma história que se perdeu e não me interessa qual a versao... Mais um momento que agrafo com a dor da repetição...
Mais uma vez encontro aqui, de forma tão irónica, espelhado em cada palavra aquilo que estou a sentir. Isso impressiona-me bastante... porque não é o género de sentimento que normalmente me ocupe e se torna invulgar a coincidência... passei só para deixar um beijão. Pandora

Aran disse...

... E passei por aqui... na esperança de saber de ti... mas nem um sinal... espero que estejas bem!
Sabes... por vezes mais vale a verdade nua crua... doí mas supera-se melhor... do que ter não mãos ilusões que não passam de mentiras... a explodir de raiva... sabendo que haviam outras alternativas... e esta dor... é sempre mais desvastadora... e cuja a herança nos deixa de alma vazia...
Um beijinho grande

PS: Esta é a minha opinião pessoal... não sei se assim será para os outros... ;)

Iruvienne disse...

andas longe... mas bem espero, desejo.. desejo que andes bem.
volta depressa, sim?

beijinhos e um abraço.
e um até já, espero.