terça-feira, junho 05, 2007

O MiudoEscravo







Sozinho, ele ficou na sanzala,
aquele pequeno escravo a chorar
Ele...,

que não sabia a cor da alma ,
chorava
sem saber que nós
estavamos aqui a olhar













O pequeno puto
gritava no silêncio,
A morte de quem
na sanzala ficava a sonhar
Era de sangue
a cor do vento
na chibata vermelha
de um patrão a gritar










Os sonhos ficavam perdidos,
atoalhados na miséria do ser
Memória de uma mentira
que alguém tornou verdade
De um patrão com cara séria,
que escondia o prazer
Da maldade escondida
nas margens da nossa vaidade










O miudo pescador nunca foi livre
nem sequer foi resgatado
Mas ele sabia
que a maldade não era sua
Mesmo na sanzala,
eles sabiam que o seu pecado
Tinha sido,
nascer com a cor da noite,
e não com a cor da lua










E a água suja,
pela montanha escorrega
Corre na imagem
que vês na televisão
E com ela, devagar
o nosso jardim, o miudo rega
Regando com sangue
as flores roxas da escravidão


Perdido pela cruz,
entre chamas queimado
Sofrendo de uma dor
que não era a sua
Pelas mãos de uma mãe recusado
naquele buraco, negro e fechado
O escravo ficou a sonhar
com o calor do sol,
com a pureza da lua
...









Sabem, ele, o miudo escravo
apenas sonha ...
com um brinquedo
com uma bola
com um copo de leite
com um carinho
com uma festa
com um sorriso
é pouco, não é...




palavras que nasceram depois de ter visto

uma reportagem BBC transmitida na SIC
que me tocou e me fez sentir tão pequeno e impotente...
e ter a certeza de que todas as vezes que eu me queixo
queixo-me sempre de boca cheia ...

5 comentários:

Aran disse...

Ele apenas sonha em ser criança... como tantas outras, mas o destino não deixou e não deixa... é um grito mudo no ollhar dessas crianças... que demasiado depressam se tornaram adultos!!!
Essas crianças, a sociedade discriminou, aquando ao seu pais a setença proferiu... a liberdade e a opção de escolha lhes retirou...
Todos nos queixamos... sempre por qualquer coisa... mesmo apesar de certas realidades...
O Homem... é um ser humano constantemente insatisfeito! ;)
Beijinho e inte

Anónimo disse...

Este e o post anterior remetem-me(nos)para conceitos/ideias/discussões sobre a própria origem do conhecimento , da existência de Deus e, naturalmente, de bem e do mal..
Filosoia...sorri, lanças aqui imagens que me (nos) transportam a uma introspecção inevitável e que não é fácil traduzir em palavras.

Alguém disse um dia que o desenvolvimento global de um povo se avalia pela atenção e cuidados que são dispensados aos indivíduos dessa sociedade mais vulneráveis:crianças, velhos,as pessoas diferentes("inválidos", "deficientes")...se assim é não é preciso ir tão longe, olhemos à volta e constatemos a regressão a estamos votados como grupo/comunidade!
O conceito de ser Homem não existe para mim sem a dimensão liberdade, apesar de correr o risco de ser aqui conotada com um discurso políticamente correcto ou mesmo lamechas não deixo de dizer o que penso e aquilo porque tenho dado a cara e experimentado muito dissabor.
Acredito profundamente nas pessoas para remeter para uma entidade distante e invisível a responsabilidade daquele tempo a que chamamos vida!Só acredito neste tempo para podermos ser pessoas e iguais...
Ser solidário, dar testemunho de paz e tranquilidade, de respeito pelo outro e por nós é um desafio, uma escolha e ninguém diz que é fácil mas é possível.
Não procuro mudar ninguém , não julgo, mas entendo que a verdadeira guerra é esta de descobrirmos que sem os outros a vida será um tempo sem qualidade e sem se cumprir a nossa verdadeira essência como seres .

Encho os olhos destes meninos, mas também dos velhos, em África como cá, cheios de gritos contidos numa solidão imensa onde a fome é de ternura, amor e sobretdo de tempo que quase nunca temos para ser mais homens, eu dria mais livres.
Tonei-me mais gente por ter um Deus d(e)as pequenas coisas... num abraço, num sorriso, num desenho, numa flor...
A mudança começa sempre por nós e crescer com meninos com este olhar imenso não fez de mim um exemplo mas fez de mim seguramente uma mulher de memória, atenção e, para sempre, de testemunho.

Um beijinho grande pescador.

M

A. disse...

...que tristeza.que revolta.






e a tua...?

...é tanta que a sinto aqui.


o que tens querido N.?

Cleopatra disse...

EXcelente post
GOSTEI!!
Empresta-me para fazer refer~encia lá na minha mooon???

Pescador disse...

nem precisas de pedir Cleopatra...
mi casa tu casa...;-) !!
aqui as ondas e as marés são reflexo do mar e de quem vê nelas o reflexo daquilo que lhes tocas...
volta sempre
bjs doces
Pescador