sábado, julho 19, 2008

Houve alguém que um dia escreveu…

... “ No coração talvez, ou diga antes:
Uma ferida rasgada de navalha,
Por onde vai a vida, tão mal gasta
Na total consciência nos retalha










O desejar, o querer, o não bastar
Enganada procura da razão
Que o acaso de sermos justifique,
Eis o que dói, talvez no coração.”



2 comentários:

Pescador disse...

tenho saudades ...
de ti, e dela também...
tenho saudades das palavras trocadas..
das confidências e segredos entre quem tão pouco se conhecia... e no entanto era tão fácil o acto de me revelar, de te revelar ... a ti e a ela também...
tenho saudades de ter tempo para ti, de ter tempo para ela e para ela também...,
tempo para quem se chama letra ou que é apenas princesa...
saudades das danças e dos murmurios ao ouvido...
saudades da lua e do jardim, do principio e do fim...da fada das crianças e dela também, a menina...
saudades de te ter aqui...
...
hum, saudades da criança/mulher que ainda ontem aqui esteve...
sinto falta...
de ti, dela e dela também...

bjs
Pescador

Iruvienne disse...

ja se passaram +- 3 meses? lembro de ter vindo aqui e de te "ver" falar sobre mudança de casa, ausência necessaria. e de lembrar que quando voltasses estaria eu em exames.
bem.. eu ja deixei os exames para trás, e tu andas a voltar de mansinho, espero que voltes depressa ao que nos habituaste :) e que esteja tudo bem ctg claro :)

saudades.. grrr.. andei a reler excertos d'O Principezinho, sobre cativar pessoas e o valor que têm quando as deixamos entrar... acaba sempre na saudade ..

a tua barca.. smp o mesmo canto, a musica, o texto, as imagens.
mas pronto vou-me calar, com a esperança que venhas aparecendo ;)
bjo*