domingo, junho 15, 2008

DROPS OVER R...





ESCREVO-TE DEVAGAR COM PRESSA ...




PORQUE CORRO PARA LONGE PARADO
BRINCO COM ALEGRIA CHORANDO
PORQUE PERDI O QUE ME FOI ACHADO









REAGO COM UM LAIVO DE INÉRCIA
AO CONTRASTE DAQUILO QUE É AFIM
PERCO A VONTADE EM FAZER NADA
NO PRINCIPIO QUE NASCEU DO FIM













E SE POR CASO FOR DE PROPÓSITO
ENTÃO VEJO-TE COM UM OLHO FECHADO
AQUELE TESOURO VASTO E IRRISÓRIO
DO FUTURO QUE ME LEVOU O PASSADO

















E SE TU VOLTAS MAS JÁ NÃO CHEGAS
LUA QUE O SOL NÃO DEIXA MORRER
DEIXO-TE... ENTRE BALAS E SETAS
PROTEGIDA DAQUELE
QUE AMA SEM QUERER
...










TU ÉS O CONTRASTE DE UM SIMPLES REFLEXO
COMO SE FOSSES O QUE JÁ NÃO SE É
ONDE EU PROCURO O QUE NÃO ENCONTRO
NA NOITE DE QUEM UM DIA CRENTE
... PERDEU NO AMOR A FÉ







.....








ESTE POEMA É REFLEXO DE UM ESTADO DE ESPIRITO
MAS TAMBÉM É UM SINAL, UM GRITO... UM DIZER-TE:
ESTOU AQUI...
MEIO PERDIDO PORQUE DE REPENTE SINTO QUE CHEGUEI
A UMA ENCRUZILHADA DA VIDA OU NA VIDA...
ASSUSTADO...
...
NÃO ME ESQUEÇO DE TI...
NÃO ME ESQUEÇO... ACREDITA QUE NÃO...
AS PALAVRAS É QUE CUSTAM A SAIR...
TU ÉS ESPECIAL...tão especial...
BJS COM SABOR A SAL, O SAL DO MAR E DA VIDA...
PESCADOR


5 comentários:

mar disse...

Olá Pescador :)

"...Escuto o silêncio das palavras.O seu silêncio suspenso dos gestos com que elas desenham cada objecto,cada pessoa,ou as próprias ideias que delas dependem.Por vezes ,porém as palavras são o seu próprio silêncio.Nascem de uma espera ,de um instante de atenção,da súbita fixidez dos olhos amados,como se também houvesse coisas que não precisam de palavras para existir.É o caso deste sentimento que nasce entre um ser e outro ser,que apenas se adivinha enquanto todos falam ,em volta,e que de súbito se confessa,traduzindo em breves palavras a sua silenciosa verdade.."
Nuno Júdice in"Pedro lembrando Inês"

Não resisti a partilhar este poema, de que gosto muito, contigo depois de te ler.
Desculpa-me a invasão.
Um abraço e um beijinho grande para ti.
Foi bom ver-te na praia hoje :)
M

Drops disse...

Olá Pescador, meu doce Pescador...

Ainda vivemos num mundo de contrastes, onde se tem vergonha de amar, e se ostenta o ódio num estandarte orgulhoso, ainda somos egoístas, hipócritas, narcisistas e mesmo assim achamos que estamos perto da perfição...

o teu poema é perfeito, a música é perfeita... as tuas palavras chegaram e trouxeram-me forças para mais uma epopeia.

Saudades e beijos com sabor a licor de Orujo

R.

mar disse...

Olá Pescador :)

Sou a outra mar, ainda te lembras de mim? ha já mt tempo q aqui não vinha. Mas adorei o poema bem como a foto.
Beijos grandes cheios de amizade************

charlotte disse...

Que bonito!!! E em todos estes anos volto a interrogar...quem?
Que bom ter-te de volta...
Bj***

Iruvienne disse...

"na noite de quem um dia crente.. perdeu no amor a fé"

perder a fé nao.. apenas desilusão ... sim?

nascemos e crescemos, com a ideia universal de que o amor é o melhor que podemos encontrar na vida. mas quando nos contam as historias do amor, esquecem-se sempre de contar como ele às vezes doi e como essa dor se prolonga durante anos às vezes.
mas tudo isso só mostra a sua grandiosidade, porque essa dor deve-se ao carregar de algo tao puro e bom. :)

bjnho* espero k steja tudo bem :)