sexta-feira, janeiro 08, 2010

....amar sem saber que se ama !?!?!





Sempre achei estranho
os teus olhos não brilharem.
apesar de não os poder ver...
eles ficavam em outro lugar
e escondidos eles ficavam
sem eu deles poder saber







Sempre achei estranho
o teu rosto não saber sorrir
do que ficar a vê-lo a chorar...
as lágrimas que não podia ver
e mesmo vendo não ia saber
se eram lágrimas ou água do mar







Sempre achei estranho
não te quererem amar
tu que apenas querias ser amada
pois tinhas o corpo belo de um luar
à sombra de um sol a planar
sobre a vontade em ser tocada







Sempre achei estranho
ser tão simples o desejo
do que ver alguém a te desejar
pois eras a flor de que se tem medo
na vontade que se tem por um beijo
no desejo perdido por um olhar









Sempre achei estranho
dizer-te que apenas gostava
sabendo, que eu não o sentia
pois tu foste a alma marcada
no corpo de uma ela encantada
que eu sempre amei
sem saber que o sabia



















PS: Será possível passarmos uma vida amando alguém sem saber que a amamos !?!?







9 comentários:

isv13 disse...

Música de fundo... Adele. Coincidências curiosas: descobri recentemente uma bela canção dela que até coloquei no meu blog. Boa escolha. Comentei a tua escrita no fb. Beijos doces :-) E continua assim.

Iruvienne disse...

nao é assim que muitas vezes se tornam essenciais sem que notemos?

parece ser mais possivel do que esperamos...

e às vezes ignorance is blessing. e outras é apenas tortura..


Adele.. fizeste-me ir procurar o album dela ;)
e a musica é perfeita. escrita para acompanhar este poema.
pena os tons tristes...


bjos doces Pescador *

Lady disse...

É possivel sim... e existem vários factores que contribuem para isso... tu, meu amigo Pescador, terás com certeza os teus...
Só espero e desejo muito sinceramente, que não seja uma descoberta tardia, mas antes um reforçar de laços...

Um beijinho grande

Pescador disse...

leio os vossos comentários e fico a pensar que este é, de todos os posts que pintei pela barca aquele onde as entrelinhas estão profundamente presentes nas imagens...
consciente ou inconsciente, utilizei-as para dizer aquilo que as palavras não dizem, por medo ou simples desconhecimento ...!!
bjs docesssss
Pescador

Pescador disse...

Se fosse uma descorberta tardia... teria vindo demasiado tarde... demasiado...
mas tenho a certeza de que não é um reforçar de laços..., porque se não alguém ficaria sufocado num laço tão apertado e reforçado
;-) !!
constatação de um facto !?!?
Será possível !?!??!

Lady disse...

Olá... dizia reforçar, no sentido positivo e não negativo... o tal "tempero" que ficou esquecido e que de repente emerge do nada...

constatação de um facto!?!? É uma pergunta ou é uma afirmação?
Se for uma constação de um facto, creio ser possivel, sim...

Beijinhos e boa noite... bons sonhos!

Maxwell disse...

O pior de amar sem se notar é quando quem amas te deixa aí, a dor que estás a espera de sentir te toca bem mais fundo do que estavas à espera--
Adorei a musica de fundo. Vai para o iPod ^^

Drops disse...

Olá Pescador, meu doce Pescador...

Claro que é possivel amar sem saber que amas, basta a descrença nessa possibilidade que dificilmente te irás aperceber, ou amares outra pessoa.

O amor pode ser tão subtil que nem o mais atento o detecta, ou tão avassalador que nem o mais distraído o consegue ignorar. :)

Se amas, diz-lhe que a amas, se achas que amas, confessa-lhe as tuas dúvidas, se não a queres amar... deixa que o tempo se encarregue de vocês.

Um beijo, com sabor a abraços reconfortantes e a frutas da tua terra.

Drops

Anónimo disse...

Olá...

Primeiro que tudo um olá muito grande e cheio de saudade...
Como vão as coisas?
Prometo que vou voltar a tentar descobrir-te neste canto, aos pouquinhos... que a minha tolerância as palavras diminuiu e o meu descrédito sobre o que se escreve tomou o seu lugar...
Mas isso são outras histórias...
Hoje, no meio daquelas preguiças que nos dão quando temos trabalho para fazer e não nos apetece, lembrei-me de ti, do teu blog, de como eram os tempos em que a sensibilidade dos outros preenchia o meu mundo, o tempo em que as pessoas que eu procurava se revelavam sem receios e com sentimentos para mostrar.
Sempre adorei o teu cantinho, os teus temas, os teus textos, as tuas imagens que( como dizem) dizem tudo o resto e as tuas músicas.
Adele é uma das minhas cantoras preferidas e é ela que nos ultimos meses me tem tentado pôr de bom humor logo pela manhã. Sei como é evidente todas as letras das suas músicas e acho-a acima de tudo um mimo e um misto de tristeza e força que me servem de inspiração. Curioso procurar-te e encontrá-la aqui.
Por este último texto percebo que por muitas voltas que tenha dado a tua vida nestes anos, também tu te mantens mais ou menos com os mesmos pensamentos, com os mesmos rasgos no coração e até com a mesma suave melancolia de há uns anos atrás.
Vejo então que nao foi só comigo que a vida brncou para me mostar de novo o mesmo que sempre soube. :)
Este texto parece um pouco triste e desanimado, mas n te preocupes que n estou e imagino que tu também não estejas. Estou simplesmente conformada, Mais conformada ainda.
Mas gostei imenso de te rever e ver que permaneces por cá.
Um beijão grande grande grande...

Quanto à tua pergunta... Amamos de tantas formas e conhecemo-nos tão mal que é bem possível que sim.

T. ( Pandora - Momentos a Vulso)