domingo, julho 29, 2007

Dor da mar

Penúltimo post antes do virar de uma página...










Sentado na areia,
de uma praia de sal
Quis ser a
gaivota
que para o
sul partia
Quis morrer
na maré,
que vinha
do vale
Quis ficar ali
contigo,
só mais um dia








Mas com o disfarce,
de uma onda do mar
Onde as gotas de água
secam as nuvens do dia
Deixei perdida a saudade
que eu tinha do verbo amar
Por entre os grãos de areia
que a mão no mar colhia








Mas o mar aproxima-se,
lentamente da voz
Quando as aves agarram,
o vento inerte
É o som de nenúfares,
folhas tão sós...
Ou será a música,
que um beijo nela verte !?!








E o amar dela
que nela afrontou o mar
Acolhe a lágrima azul
que lá cresceu
É o abraço terno
de quem ficou a chorar
Por um olhar que no mar
o mar nunca te-mereceu...








Mas fica por aqui ò mar
que
revolve e agita
num novelo de espuma
vazio de
cheiro e cor
onde uma
gaivota disfarçada
chora e grita
pelo barco que um dia
levou
o seu Pescador



8 comentários:

Aran disse...

Olá! :)
Espero que tenhas reencontrado a saudade que tinhas do verbo amar... ;) Magnifica parte essa, do teu post!!!
Quanto à música gostei... mas o seu contexto tem algo de triste e de belo... tem cá uma mistura, que nem sei explicar...
Que esse teu virar de página te traga o que melhor que a vida te tem para oferecer, luminoso... enfim com tudo de bom mesmo!!!
Um beijinho grande e inté

Anónimo disse...

Olá Pescador!

Apetecia-me citar Sophia e dizer-te que "...Mar,metade da minha alma é maresia..."
:)

Esta tranquilidade e magia diz-nos de um caminho cheio de coisas boas que saberás fazer em todas as páginas...:) tu és um homem do mar!

Um abraço apertado
M

Aran disse...

Cristo! Que música, que letra! (no bom sentido, claro...)
passei, reli e ouvi...
Um beijinho grande...

Aran disse...

...esqueci-me de algo... espero que o teu pai esteja a recuperar bem... joka

Iruvienne disse...

e o querer... o querer é algo muito complicado... é algo profundo de cada um, mas é tantas vezes acorrentado, impossibilitado, proibido...

poema meio triste não? mas teu, amor e mar, duas palavras que julgo que te definem.

beijo Pescador*

Anónimo disse...

Quantas vezes o mar nos acompanha nos momentos mais sentidos, nos mais inexplicáveis, nos que nos banham cá dentro quando por fora nos mantemos unicamente pessoas racionais... Como sempre um texto lindíssimo e a música, claro, bem escolhida... A sensação de perda, enfim, não será uma constante na vida de alguns? é pena, mas cada vez mais me convenço que será assim...
Bom, um beijinho enorme para ti, cheio de pequenos pozinhos mágicos que te ajudem a encontrar a alegria e uma recuperação rápida para o teu pai...
Sabes que se lhe deres muitos miminhos isso melhora? ;)
Fica bem
Pandora

Drops disse...

shhhhh...... de mansinho senão ela foge de novo.

Olá pescador, meu doce pescador.

desculpa a ausência, desculpa o silêncio.

estou de volta.

um beijo enorme, que compense todos os que ficaram perdidos enquanto estive fora.

BEIJO!!!!!!!!!!!!!!!

Drops

charlotte disse...

Parabéns meu querido amigo! Desejo q o teu dia seja assim :) Feliz*
P/ onde quer que vás que o destino te sorria sempre!
Melhoras rápidas p/ o teu pai.
Baci***