terça-feira, maio 12, 2009

Trilogia de uma mulher desesperada - Parte I

vislumbro-te no aceno de uma pétala
no mergulho de uma mulher já louca
que abre as pernas por quem desespera
na raiva contida que ficou à solta



















vejo-te na coragem oca de quem grita
presa às palavras de quem te engana
Onde o acto não te dá aquilo que tira
numa soma negativa, numa conta estranha



















Respiro-te, no fumo amargo do cigarro
no suor despendido pelo prazer ausente
no pensamento vazio,distante e bizarro
de um corpo com uma sombra diferente



















Tenho-te, à distancia de um mero olhar
entre as janelas que cruzavam a vida
na tua a chuva imitava a voz do chorar
de uma mulher desesperadamente possuida



4 comentários:

Bruma disse...

Olá, Pescador!
Mhmmmm... um texto forte, diria até brutal!

Uma trilogia de uma mulher desperada... bem, soa a uma critica a alguém...

Não te esqueças que por vezes as aparências iludem... isto por causa da janela...

Fizeste-me lembrar um filme que vi "Expiação"...

Bjinhos

Pescador disse...

Oi !!
Não, não é uma critica a ninguém, é apenas o retrato de uma mulher desesperada pela ausência do amor...
pela ausência da troca...
pelo acto talvez !?!?
Retrato de uma mulher que dá mas não recebe...
É apenas um retrato... daquilo que eu tento descrever ou pintar como sendo uma mulher desesperada...

" que abre as pernas por quem desespera...
Onde o acto não te dá aquilo que tira...
no suor despendido pelo prazer ausente...
Tenho-te, à distancia de um mero olhar..."

Mas tem continuação..., porque ela levanta-se e dai do quarto para a rua !!

Bjs doces
Pescador

PS: Tenho que ver esse filme !!

Pescador disse...

enganei-me

queria escrever " sai do quarto para a rua !!

Bjs, again, e doces , again ;-)!!!
Pescador

Fabi Cris disse...

Maravilhoso pescador...