sábado, maio 30, 2009

Trilogia de uma mulher desesperada - Parte III



E chegas ao fim numa linha sem um horizonte
e vogas sobre o vazio que se abre a teus pés
é alta a falésia no fim de uma rua sem ponte
e a dor que sentes, por não seres quem tu és








Cambaleaste entre o muro e as ruas repetidas
e caiste nos braços do desdém e do desagrado
de joelhos guardas lágrimas nas tuas feridas
e no rosto as tatuagens do desespero marcado










Vejo-te assim à distancia uma mulher perdida
que se deixa levar sem sentido pela ausência
da sombra que se perdeu nela por ela na vida
como uma semente que não germina pela doença







Vejo-te ó mulher, presa a um desespero mortal
por tudo o que te falha numa vida sem sentido
é o amor, a criança, é vida sem cor e sem sal
num desespero que te come os sinais de perigo





2 comentários:

isv13 disse...

Olá. Encontrei por mero acaso este blog quando andava a fazer uma pesquisa - coisa q faço muito devido ao meu trabalho - e fiquei fã. Lindissimas fotos e palavras. Continua a libertar essa inspiração e bom gosto. Fica bem!

Shadow disse...

Tinha, há anos o "the book of shadows" e passado todo este tempo, voltei a escrever. E seria inevitável escrever aqui de novo neste mundo e não voltar para te ler.

bj