terça-feira, novembro 03, 2009

Veredas escuras....

Eu cambaleio

pelas veredas escuras

da loucura

Dessa doença que não tem cura

Neste caminho que não tem fim






E vou por ali a cambalear…,


cambaleio, mas não caio

Magoam-me, mas não morro

Espero, mas ela não chega

Nem sequer se lembra,

dos gritos que não quis ouvir

De quem a chamou,

mas ela não veio


De quem a amou,

mas ela…





E ao fim do dia,

fico sozinho e só…

Embriagado pela escuridão de quem vê

Esperei o sol, fiquei com a lua

Cambaleei naquela vereda escura

Mas ouvi o teu nome…,

e morri feliz








NOTA: A meias com Fernando Pessoa
... que arrogância a minha !!

9 comentários:

Bruma disse...

Olá, Pescador!
Mhmmm... gosto mais dos teus textos, profundos, brutais, brotados das tuas entranhas!
Este parece-me um pouco forçado... não sei bem te explicar... quem sabe se por estar com o do Fernando Pessoa...
Enfim... bjinho grande

Pescador disse...

...
apesar de ser a meias, e de já ter algum tempo, este poema esconde uma história ....
uma história que nunca descobri se foi triste ou alegre !!
Bjs doces minha doce Lady

Pescador

Pescador disse...

ah, e faltavam as imagens...
não sabia muito bem o que queria aqui pôr !!

;-)

Bruma disse...

Esconde uma história?!?!
E que nuncas descobriste se foi triste ou alegre!?!?
Pois as imagens!
Também é um artista a escolhe-las, sabias?!?
Gostei dos encaixes que faltavam, sobreuto do primeiro! ;)

Um beijinho grande

isv13 disse...

Hum... estas palavras são tão familiares. História semelhante. Ultrapassada, felizmente.

Pescador disse...

não verdade tens razão, estas podiam ser palavras tuas...
podia ser uma história tua...
...
acho que lá voltamos aquelas histórias que ficam à esquina "copiando-se" !!
Bjs doces para ti Marciana do palneta terra ;-) !!!
Pescado

Maxwell disse...

Gostei. Bem reconheço essas palavras em mim próprio. A espera de algo que prometeu tornar e, ainda assim se esqueceu... Doi lá dentro. E aprendemos a viver com essa dor. A dor que se torna parte de nós, perda que nunca se satisfaz, apenas um vazio em nós.

Gostei :)

Pescador disse...

mas acredita que esta "história" teve algo de "estranho" porque
"Magoam-me, mas não morro" ...
mas no fim " morri feliz" !!
...
Abraços
Pesacador

Bruma disse...

Pescador, talvez por saberes que ela está e/ou ficou bem... e dai "morreste feliz!" ;)

Beijinho grande