sábado, março 27, 2010

Um trago de bêbado...

Isto agora é um aparte, por uma noite de fraqueza, por uma noite onde alguém tremeu no preciso momento em que olhou para uma folha de papel tão virgem e pura.



Como te posso querer escrever o que quero escrever, quando só desejo beber desta outra forma que se esconde por detrás de cinco dedos fechados com raiva em forma de punho. Como escrever palavras entorpecidas por esta mistura tão amarga que me queima as entranhas levando-me a senti-la e a pensar que a sinto !!



É só um copo, uma anestesia para não sentir a dor e esquecer o dia, é só encher a boca com álcool para que ela não se encha com palavras que nascem no coração e que assim, quem sabe talvez as consiga afogar.



E o silêncio que acompanha o formal movimento de um braço que se ergue e que é tão profundo que quase consigo escutá-lo.



Mais um copo e agora brindo a ti vida maravilhosa que me pões um anjo à frente e depois dizes que não o posso ter porque ela tem que amar o seu deus...., somente o seu deus. Filho da puta esse deus..., cobarde este reles crente em coisa alguma.



Porquê esta realidade fechada onde calado só me resta a voz do coração e uma raiva que se perpetua e se agiganta à mesma velocidade com que bebo constantes medidas de álcool puro.



Tragam-me dor...., mentiras que amansem o meu coração, paradoxos e contradições..., tragam-me força bruta nas mãos de alguém que me fira o corpo mas que me poupe a alma.



Como é dificil beber calado..., em vez do silêncio mais me faz falar e..., talvez só dizer tolices.



Mais um brinde !!!



- Onde tu estás Mar !!



- Onde estás...



E em resposta o que se ouve mais não é que um grito desumano que trespassa a noite e que me faz ficar atento sobre se gritei por ti por amor, ou se foi mero reflexo de uma raiva despertada por um balde de gin



Já não sinto as mãos nem os lábios, mas o coração não se embriaga nem a alma fica muda ou é escutada. Olho mas também já não consigo olhar porque está tudo a ficar turvo e já escrevo sem saber se o estou a fazer...



Só mais um copo e depois paro...,



mas é que eu só queria dizer que... te amo..., ah,ah,ah.



Só mais um e depois eu peço que o afastem.



.....



Afastem essa merda de mim porque basta-me a ti oh deusa para que me consuma fechado numa redoma de silêncio onde a qualquer momento digo que vou gritar mas que também sei que nunca vou ter a coragem para o fazer.



Talvez só mais um copo....



Se as mãos deixarem de tremer eu juro que vou emergir deste quarto para um mundo, feito um homem novo, despido de sentimentos e frio como uma pedra de gelo.



Vou dizer que não te amo ou talvez pior....,dizer que te amo.



É engraçado esta coisa da bebida porque agora tu estás aqui à minha frente.



- O que é fazes ai Mar !?!



- Para onde vais !?!



Mar...



Mar, irmã dela, palavra ainda facil de pronunciar por entre as palavras que tombam sobre peso desta bebedeira dantesca.



Agora eu juro que é o último...



De que adianta ter boa vontade e querer inventar pecados para ser igual a ti, se tu não pecas e te afastas de mim da mesma forma que ele se aproxima dos meus lábios com mais uma dose de veneno. Talvez o mundo não seja tão grande e eu apenas durmo sonhando um pesadelo e talvez este gin me faça acreditar que quando acordar tu não existes, e eu não me perco nem morro no veneno que é a minha AUSÊNCIA.



Mas não, eu quero perder-me ainda mais...



Quero me perder em mais um beijo amargo, e agora que tombei sobre a linha de uma sombra e as poucas estrelas que vejo acima de mim pouco mais fazem do que anunciar a chegada da noite, deito-me e penso na possibilidade de adormecer.



Acho que me vou embriagar até que esqueça....







NOTA: Este texto foi fruto de um duplo momento de total embriaguez e de uma posterior serena sobriedade
Meu deus que bebedeira... entrou directamente para o top 3 e foi a unica fora dos tempos da faculdade...

QUESTÃO: Já alguma vez embebedaram-se por razões do coração ????

4 comentários:

Drops disse...

creio que das poucas vezes que me embebedei apenas uma não foi por razões do coração. Infelizmente o álcool da-me sempre aquele trago de coragem extra, aquele impulso que preciso para dizer ou fazer algo que receio. :) o coração é um lugar estranho... Enche-se de sentimentos que a cabeça teima em contrariar, e depois recusa-se a deixa-los ver a luz do dia. As bebedeiras levaram-me a loucuras inesquecíveis que não trocava por nada. Essencialmente porque o dia seguinte não traz consequências nem remorsos. :)
Beijo doce, sabor a licor de maracujá

Drops

Anónimo disse...

isso de não trazer consequências ... não é bem assim, porque apanhei uma vez uma na faculdade que ...
por sorte não houve consequências...
apenas por sorte..
Beijocas docs pa ti drops..
com sabor a licor de amora, trazido especialmente de S.Miguel...
saudades tuas...
Pescador

Lady disse...

Olá, Pescador!
Este teu texto, fez-me lembrar um videoclip musical que em tempos ouvi... e no qual eram apresentadas imagens dum filme... onde entrava o nome de Maria, e creio que se trata de uma trágica história de amor... lembro-me que Luis Represas tinha sido convidado por um outro grupo musical, não sei se... galego, espanhol ou latino... infelizmente não fixei nem o nome do video em questão, nem do nome da musica, nem da banda...
Quanto à tua questão... lamento... mas eu apenas apanhei duas grandes bebedeiras até hoje, e nenhuma foi por razões do coração...

PS: os meus pensamentos são mais macabros, nesse sentido... ;)

Beijinho grande e fica bem!

isv13 disse...

Olá Pescador. Este texto inspirou-me para escrever um meu. Ai como tenho vontade de me embriagar e deixar-me ir... Perguntaste se "Já alguma vez embebedaram-se por razões do coração ????" . Eu nunca me embebedei por razão alguma. Mas neste momento, respondo que, pela primeira vez na vida, gostava de me embebedar por razões do coração... Um beijo doce .-)