quinta-feira, setembro 17, 2009

As...




" As Palavras
São como um cristal,
as palavras.
Algumas, um punhal,
um incêndio.
Outras,
orvalho apenas.
Secretas vêm, cheias de memória.
Inseguras navegam:
barcos ou beijos,
as águas estremecem.
Desamparadas, inocentes,
leves.
Tecidas são de luz
e são a noite.
E mesmo pálidas
verdes paraísos lembram ainda.
Quem as escuta? Quem
as recolhe, assim,
cruéis, desfeitas,
nas suas conchas puras ? "


Eugénio de Andrade
Nestes ultimos dias tenho me sentido vazio de palavras...

11 comentários:

Iruvienne disse...

às vezes.. o problema das palavras é não ocorrerem no momento certo.. porque por muito cheias que estejam.. por muito cheios de palavras que estejamos, quem as tem de ouvir não se apresenta. ou às vezes como no teu caso agora parece-me.. as palavras simplesmente não ocorrem..

qualquer das formas.. às vezes silêncio também é bom.

não conheço a banda sonora, mas gostei da imagem ;)

e eugénio de andrade.. é sempre boa escolha!

bjs doces

Layara disse...

Palavras, a parte concreta de nossos sentimentos as vezes abstratos sentimentos.

Um beijo do meu Horizonte!

Pescador disse...

Iruvienne: Sim, é mesmo isso, elas não aparecem...
acho que falta de palavras é simplesmente uma clara e notória ausência de inspiração para escrever... por outro lado, isto é "mau", porque significa que o Pescador anda meio desaparecido...
... não gosto de ter esta sensação de não conseguir tirá-las de dentro do meu ser...
...
a banda sonora é meio cota
Alan Parson's Project - Don't Answer Me de 1983

Bjs docesssss
Hoje N., por falta de comparência do Pescador ;-)

PS: Com tempo mando-te um mail, gostei de te ler...,
amanhã por estas horas vou andar num local chamado Praia das Bicas, pode ser que encontre o Pescador por ai ;-) !!!

Pescador disse...

por vezes mais abstratos que as palavras que os tentam traduzir...
....
Olá !!
...
e onde fica o teu horizonte !?!?

Bjs docessss

Bruma disse...

Existem palavras, que nos tocam, rasgam a alma…
Palavras, que puxam palavras…
Que nos fazem sorrir, chorar, que nos calam a alma…
Mas nem sempre são elas quem se calam, que se escondem…
Por vezes, é a alma, que as devora, as engole, silencia-as...
Mas nunca não te esqueças, de usá-las para salvar uma alma….
A tua, de alguém querido, de um estranho…
Ou mesmo ainda, do teu maior inimigo…

Bem meu amigo Pescador, espero que seja tudo por bons motivos...
Falhas de inspiração todos temos... e isso não é grave...

Um beijinho grande

Pescador disse...

Lady: o medo é que quando as palavras começam a faltar, ele começa a adormecer...
ou simplesmente não consigo relaxar deste stresss diário que ...
Fuck, acho que estou simplesmente estourado...
...
Bjs docessssss para ti doce Aran e desculpa a pouca atenção que te tenho dedicado..., mas acredita que tu ocupas um lugar especial aqui dentro...

N.

isv13 disse...

Quando as palavras quiserem sair, elas saem. É só esperar o momento :-) Beijokas!

Pescador disse...

;-)

Sweet Kisses ...

N.

Maxwell disse...

Palavras são sempre poucas para dizer o que se pensa. São uma forma deformada de comunicação de pensamento porque o deformam sempre.

Talvez seja uma altura não de falar mas de pensar apenas. Mesmo que seja pensar o vaziu de não haver pensamentos concretos mas apenas as névoas indistintas da mente. Tempo de descansar a fala e simplesmente 'falar' para dentro.

Ás vezes, temos que descansar a mente das palavras como a garganta da fala. Porque, embora natural, é algo tão cansativo que não nos damos conta.

Pescador disse...

Maxwell: Talvez tenhas razão...,e qual seria o remédio para o pensamento !?!?
De que forma poderiamos nós silenciar os nossos pensamentos !?!?!
Por vezes, e digo eu, também a nossa alma poderia ter algum descanso !!

Mas agora pergunto-te eu Maxwell , será que ao ditarmos silêncio sobre as nossas palavras, não estaremos a cair no risco de magoar a nossa alma, espirito, coração ou outro nome qualquer que lhe queiras chamar !?!?
...
Percebo quando dizes que as palavras são uma forma deformada de comunicação de pensamento porque o deformam sempre, mas a isso todos nós nos arriscamos, porque no fundo, todos nós somos um pouco ou muito cobardes !!
Gosto das palavras que trazes aqui pela barca...
Abraço
Pescador

Maxwell disse...

De facto, às vezes a mente fala de mais para nós próprios. Cansa mas é possível viver com isso, se não deres muita importância ao que ela diz. Eu encaro-a como um 'conhecido': devemos ouvir de vez em quando mas não cegamente. Há alturas em que 'ela' fala tanto que comessas a deixar de a ouvir; deixas de dar conta que o assunto é contigo.

Eu sempre achei que não fazia mal magoar a nossa propria alma se fosse por um bem maior. E a verdade é que chega a uma altura que devemos mesmo silenciar as palavras. Não por arriscar humilhação mas porque deixa de valer a pena falar sobre o assunto, quando não resta nada para fazer.

Hmm, a cobardia é um adjectivo e, como tal depende bastante da visão de quém o aplica. Pessoalmente, não é um título que eu goste de aplicar, talvez porque não o entenda. Não gosto desse tipo de classificações porque não são imparciais. Penso que a deformação das palavras não tem haver com cobardia mas apenas com o hábito. Somos treinados a ser uma outra pessoa diferente de nós próprios: a pessoa que comunica. Penso que seja como se outra pessoa diferente fosse. Não sei se me fasso entender--

Abraço para ti :)