terça-feira, setembro 29, 2009

CANCRO


TENHO UMA PESSOA NA MINHA FAMILIA QUE SABE
QUE O SEU PAI ESTÁ A MORRER
ELA TENTA SORRIR E TENTA VIVER...
E EU PENSO QUE NO LUGAR DELA
ANDAVA A BATER COM A CABEÇA
PELAS PAREDES...
PERDIDO ..., VAZIO
OLHA PARA ELA E TENTO ADIVINHAR A SUA DOR

MAS ELA CHEGA-ME ENVOLTA EM SILÊNCIO
SILÊNCIO DO QUAL FUGO DESBRAVAR
SILÊNCIO DO QUAL ELA NÃO QUER FUGIR
ELE TEM CANCRO E ESTÁ A MORRER
AOS POUCOS...
ELA SABE E AOS POUCOS
VAI MORRENDO POR DENTRO ...
QUE PUTA DE DOENÇA É ESTA
QUE NOS CONSOME A ALMA
E NOS AFOGA A ESPERANÇA
QUE NOS FAZ DESISTIR
E NÃO DEIXA DE FAZER SOFRER
QUEM NÃO PODE DESISTIR
...

10 comentários:

Bruma disse...

Espero que seja apenas uma ponto vista...
Uma mancha negra... pode significar tanta coisa... a doença, como o próprio nome indica... ou em termos subjectivos... pobreza, minorias... que são o fruto de uma sociedade materialista e egoista, em crescimento... no qual este lado escuro, cresce e ramifica-se como um cancer...
Por último... luto, mas este já foge ao âmbito do título...

Jinhos

Iruvienne disse...

tenho uma tia que tem cancro ha mais de 8 anos. é nos ossos, ela faz os tratamentos, o cancro desaparece e passado uns meses surge noutro sitio. não são metastases, é mesmo o tipo de cancro que é simplesmente recorrente.

já perdi a conta à quantidade de tumores que já lhe apareceram. adoro-a e muitas vezes quero correr para ela e dizer-lhe que estamos aqui, quero dizer que lamento.. sei lá.. o que raio se diz nestas alturas?? mas nunca digo, sabes porquê? porque esta mulher que sabe que tá a morrer aos poucos também, enfrenta cada um que chega com a mesma força inicial e quando tentamos ou vamos para consolá-la ela sai-se com piadas, do género "olha acho que sou burra e nao sirvo par aa escola, tão sempre a mandar-em repetir os exames!" tens coragem de dizer a alguém assim que tens pena? dizer qualquer coisa que quebre o optimismo mesmo que seja para confortar?

às vezes.. não precisamos desbravar caminho para fazer as pessoas falar.. porque às vezes falar pode ser desnecessário. o apoio é tão mais do que palavras. e transmitir força é o que mais precisam!

é normal que andasses a bater com a cabeça nas paredes, morrer elntamente é do mais sádico que existe se o sadismo a alguém pertencer.. mas mais vale aproveitar o pouco tempo do que gastá-lo com desespero. acabamos por aprender isso.
nunca desistir. quanto muito aceitar.

um abraço sim?

Bruma disse...

Meu querido amigo Pescador... a vida por vezes é puta mesmo!
Dois familiares meus já partiram assim...
E infelizmente os que partem assim, mereciam muito mais... tudo menos isso...
Embora haja casos em se consegue superar a doença... infelizmente nem sempre se vai a tempo... mas tenta-se...
A Iruvienne tem razão, apoia-los e transmitir muita força e amor, e aproveitar o poco tempo que lhes resta, é o melhor que se pode fazer por eles...

Um beijinho grande

Pescador disse...

é uma familiar por afinidade e na verdade do pai dela é apenas um amigo...
mas toda esta situação me tem feito pensar...
vejo-o de vez em quando e vejo que ele aparentemente já desistiu, já abaixou os braços !!
O segredo que ela guarda e que ele não sabe, é que os médicos já lhe disseram que não vão fazer mais nada !!
Sou emotivo, muito,demasiado, principalmente com quem amo, e por vezes pergunto-me como é que seria se fosse comigo...
nem sequer consigo vislumbrar isso, na verdade não consigo vislumbrar a mortalidade dos meus pais !!
Mas esta doença é mesmo uma puta de merda, o próprio nome dobra logo uma pessoa..., parte sempre com vantagem... porque ela desmoraliza, ela esvazia, ela tira...
...

Bruma disse...

Nesses casos... creio que eles próprios já o sabem...

Bruma disse...

Lamento...

Bruma disse...

Sabes... eu sei que custa para aqueles que ficam e o acompanham neste dificil momento, mas para eles... quanto mais depressa tudo acabar, melhor... é menos doloroso e mais digno para eles...
Não é fácil para ninguém, nem um pouco...

Abraço e um beijinho grande

isv13 disse...

Eu assiti, com 12 anos, à agonia que o cancro fez ao meu avô materno que eu adorava e vivia em nossa casa. Ainda hoje recordo com terror o dia que o fui visitar pela última vez ao hospital, ligado a tubos para lhe dar oxigéxio e ele pedia para abrirem a janela, pensando que assim entrava o ar que não lhe chegava.
Ainda hj não sei lidar bem com a morte. A doença marcou-me. É uma doença que é o presente mais cruel que este planeta nos dá.
Resta-nos ter a esperança que quando partem vão sempre para um lugar melhor e ficam em paz e sem dor.
Um beijo grande para essa tua familiar. O que se pode dizer mais perante tal golpe da vida? Força? ná... muito amor. Ela que dê muito amor e diga-lhe todos os dias o quando o ama.

Celia disse...

Olá Pescador,
Este teu post tocou-me. O cancro é uma doença maldita, que chega pela calada... Quando se dá conta dela, muitas vezes há muito pouco a fazer. A quimioterapia é tortuosa e são poucos os que lhe sobrevivem.
Infelizmente, perdi os meus avós maternos assim.
A dor maior é vermos de perto a agonia de quem amamos e não podermos fazer nada, sentimo-nos pequeninos e de braços atados.
Enfim...
Beijos Pescador

mar disse...

Eles sabem o que fazer.......

Em situações dessas, vamos buscar forças, nem sabemos nós onde, mas o certo é que as vamos buscar, e só mais tarde qd já não somos precisos é que nos damos ao luxo de "cair"........

Beijos........